em branco

estranho recheio

(Jr. Magal)



depois de uma noite alegre,
de conversas e cervejas,
o poeta vai saciar sua fome...

— moça me dá um pastel
— de que sabor?
— sabor de céu, tem com estrelinhas?
— hum não tem...é cada uma! (essa cara tá bêbado... só pode...)
— então me faça um pastel de sopa de letrinhas, pois, sou poeta e tenho fome...
— porraa, uma hora dessa, e demais pra mim... tenho que arrumar outro emprego!
— moça não me leve a mal, mas o poeta tem fome de letras, se tiver pastel com recheio de vogal e consoante, eu quero... coloque também, um pouco de metáforas, um pouco de parábolas ou vice e versa, um pouco de metábolas e um pouco paráforas, uma ligeira porção de substantivo, e o que tiver aí...
— meu Deus!!! estou muito velha para isso meu filho...

Um comentário:

André Luiz disse...

Onde tem desse pastel? Eu quero!

André Dia(s,z)?