em branco

são paulo à vista!


São Paulo à vista!
O cometa vinha lotado:
Sonho, medo, esperança
Galinha, cabrito, gado,

E nenhuma idéia
De quem dorme
Na cadeira ao lado:

Migrante, japonês, turista,
Zarolho, piolho, punguista!

São Paulo à vista!
O cometa vinha lotado:
Pó de estrelas, vento solar
E a brisa do Rio Tietê,

Eu, você,
O diabo a quatro
Mais dez milhões de desgraçados
Indo e vindo e rindo e lindo
Através do vidro embaçado.

Um comentário:

mariza disse...

esse poema ficou bárbaro, Paulinho! bem a cara de são paulo.
PARABÉNS PRA VOCÊ
NESSA DATA QUERIDA!

beijo