em branco

o causo do hífen

E tem o causo do hífen...
Não! Eu disse hífen, e não hímen!
Não confunda!

O hífen é um sinal diacrítico utilizado entre palavras para...
Eu sei lá para quê! Pensava que dia crítico era outra coisa...Já o hímen é uma membrana...

Pensando bem, hífen e hímen não passam de coisinhas insignificantes e supervalorizadas em torno das quais está sempre acontecendo alguma confusão.

Mini-saia por exemplo levava hífen, agora leva dois esses.
Concluiu-se que o caráter demasiado sutil da mini-saia estava levando ao desaparecimento dos hímens, digo, dos hífens... Não! Dos hímens mesmo!
Enfim, com dois esses a minissaia ganhou dupla camada de tecido e babados extrarreforçados. - (Gostaram? Esta já é a forma nova, muito mais robusta que extra-reforçados. Se é para reforçar, vamos reforçar, oras bolas!) - A liga das senhoras católicas agradece.

Outras palavras que levavam hífen e não levam mais:
Extraescolar - A forma descolada da versão anterior estava levando os alunos a matarem aula quando a atividade era extra-escolar. Mas assim, com a escola na cola, fica mais difícil. Os bedéis agradecem.

Autoestrada - Agora a estrada ficou muito mais segura. Era óbvio que ninguém podia dirigir com segurança em uma auto-estrada. Ela podia desfazer-se em duas a qualquer momento!

Autoaprendizagem - Aprendendo sozinho, sem a autoridade presente de um professor, o sujeito tendia a tornar-se dispersivo. Mas a autoaprendizagem é mais coesa, dá menos vontade de fazer aquela pausa para o cafezinho.

Infraestrutura - Este caso era urgente, gravíssimo! Infra-estruturas rompiam-se com uma facilidade assustadora! Agora nossas pontes, hospitais, escolas, - enfim, o todo que compõe a infraestrutura de um país, - estão muito melhor estruturados.

Em compensação, concluiu-se que microônibus não correspondia a realidade. Palavra demais para pouco ônibus. Virou micro-ônibus. Nada mais justo.

Mexeram, mexeram, mas vice continua sempre levando hífen. Sem exceções. Que é para o vice-rei, o vice-almirante e o vice-presidente colocarem-se em seus lugares e não virem se meter a besta! Vicepresidentes o caramba! Podem ir tirando o hifenzinho da chuva!

Arco-da-velha permanece igual, com hífen.
Graças a Deus! Que era só o que me faltava, nesta altura do campeonato alguém querer mexer no hífen da velhota!

Neste tempos de crime organizado, mais grave é o caso do co-réu. O réu, com a influência que tinha, corréu com ele!

Um comentário:

Yara Beatrice Jasmin Nin Poulain Black Mamba disse...

Hahahahaha
Gostei. Foi a análise mais sensata sobre o novo acordo.

Aliás, gostei do tema, escrevi um poema sobre isso há pouco tempo inclusive.

volto logo.