em branco

o português e o tijolo

(Karla Jacobina)



Que um pedreiro e um tijolo subam juntos num andaime
Que o pedreiro e o tijolo cheguem bem alto
Que um português seja engenheiro
Que o português tenha uma filha encapetada, de sete anos, daquelas piolhentas
Que no café da manhã, os piolhos da piolhenta saltem pra cabeça grande do pai
Que o pedreiro e o tijolo continuem subindo
Que o português chegue na obra
Que o pedreiro e o tijolo cheguem mais alto um tantinho
Que o português, por coceira do destino, tire o capacete da cabeça ao meio dia e trinta e nove
Que o pedreiro tenha tomado uns goro na hora do almoço
Que o pedreiro até a tampa, deixe o tijolo cair lá de cima
Que o tijolo despenque girando
Que o português continue coçando
Que o tijolo continue girando
Que o português coce mais um cadinho
Que o tijolo gire mais rápido
Que o português quebre a cabeça bem no meio com o tijolo da reforma



Mais sobre a autora, acesse:
http://karlajacobina.blogspot.com

3 comentários:

Larissa Santiago disse...

adorei aqui!!!
poesia SaLVE SALVE!!!
\o/

Caranguejúnior disse...

pois é, português fdp, a minha já tá rachando rsrs...
bjo Karla!

Paulo D'Auria disse...

Eu, pra ser bem sincero, já entendia pouco de gramática antes da reforma. Fui memorizando umas coisinhas ao longo dos anos, agora metade delas mudou... Vai começar tudo traveiz... Êita, quebrar a cabeça de novo!

Beijos,
Paulo