em branco

para/pára


1) Ai, que saudades do meu banquinho!

Para Roma
Para Pedro
Para você
Para o quê?
Parado aí ou para onde?

Desde que o acento caiu
eu já não sei se paro ou continuo!
Agora nenhum para pára,
Agora todo para vai para algum lugar.

Para Para Para!
O assento sumiu e eu já não tenho mais descanso...
Ai, que saudades do meu banquinho!

2) Diálogo improvável

- Para... taxista
- Para onde, seu moço?
- Não! Para! Para! E me leva para um hospital! Tô com um... agudo no peito...
- Seu moço, ó, para não leva mais agudo, não...
- É infarte! Infarte!
- Seria... infarto...?
- O senhor é professor de português ou o quê?
- ...Professor de português e... taxista nas horas vagas... Com esse salariozinho, né?

4 comentários:

Tássio Cardoso disse...

kkkk..massa!!

Carol Montone disse...

óoooooootimo
beijosss
Carol Montone

Marco Crupi disse...

Hello I really like your blog, I would like a link exchange with you,
I insert your blog to my favorite blogs ;)

nelwanada disse...

como faço para participar ?

http://nelwanda-alcoolepoesia.blogspot.com/