em branco

ovo sem galinha

(por Ferrari)

ela não conta ovos
conta pérolas
conta diamantes
conta prosa
amarradas em dúzias
pelo barbante
da imaginação
teimosa

ela não conta ovos
reza um rosário
conta poesia
seu braço
é extensão do pensamento
seu ato é tempo
e espaço
em eucaristia

ela não conta ovos
conta memórias
feitas com farinha
conta os dias
rugas e estrias
da idade
filhos e netos
que partiram para cidade
em busca de um ovo
sem galinha

Um comentário:

Caranguejúnior disse...

essa poesia educaralho mesmo!
faz uma bossa dessa Ferrari!
abraço!