em branco

volta da frança


Não, eu não era discreta.
Provocava-o nua,
dançando piruetas de moleca
na janela de frente pra sua.

Mal sabia eu que
enquanto minha cabeça ia pelo mundo da rua
você planejava o evento.
Pensava eu em bicicleta,
apareceu falando em sacramento.
Imaginem vocês o meu desalento...

Veja bem, meu bem
como isso me afeta:
arquiteto ser arquiteta!
Filhos, quilos, dieta...
Fui logo tirando meu da reta!

Mas era teimoso o elemento,
proposta ereta
me perseguia com fôlego de sargento!
Fácil, não desistiria de seu intento.

Começamos a namorar,
eu ainda analfabeta
nas armadilhas do amor,
pensando: desiste no primeiro tento.

Qual o quê!
Com aquela cara de sonso,
arrastou-me o sujeito para o leito,
primeira etapa de seus planos.

Hoje fazemos anos,
bodas comemoramos!
Trocamos aliança,
na Volta da França!

Um comentário:

rouxinol de Bernardim disse...

Lindo, lindo, majestoso. Enfim, o amor tem destras coisas.