em branco

heterônimos do tietê

Ainda inspirados pela visita à exposição sobre Fernando Pessoa no Museu da Língua Portuguesa, os Poetas do Tietê criaram seus próprios heterônimos:

Maicon da Silva (andré dia(s/z)?) é engraxate, nasceu em 1982 em Capão Redondo. Pegou gosto pela poesia ao encontrar uma antologia de poetas em uma caçamba de construção, juntamente com centenas de livros escolares novinhos em folha, bem próximo a uma escola pública.
Tem o sonho de publicar um livro, mas antes pretende juntar um dinheirinho para poder comprar um terno e gravata, pois percebeu que colegas de profissão que se vestem melhor têm a preferência dos "doutor" na hora da engraxada.

O Pisante do Doutor
Eu engraxo
com gosto,
pois engraxar
é uma arte.
Lambuzo de graxa
o pisante do doutor,
que se acha importante,
me olha todo superior,
mas ele mesmo, coitado,
não sabe dar o brilho
que eu dou
nos sapatos que vão embora
pros lugares onde nunca
poderei entrar.

Eva Ruiz (paulo d'auria) é professora de geografia aposentada da rede pública estadual. Atualmanete ministra oficinas de cordel em bibliotecas municipais. Tem 65 anos, é divorciada, não tem filhos e mora sozinha. Já teve fantasias com suas alunas.

Só, neto
Passam-me as horas do dia
esperando por você,
passam sem nenhuma alegria
molhadas pela chuva fria.

E eu perscrutando os porquês
do amor, do desamor, das idas e vinda (vazias)
da primavera sem bouquets
do cinza no meio da vida

Mas viver não é isso apenas:
enquanto a vida foge,
eu a te escrever poemas?

Ou será mais? se for,
que seja sonho, delírio que me aloje
em tua cama, teus beijos, teu amor!

Seu Joaquim (marcelo tadeu) tem 55 anos e é auxiliar de limpeza.

O faxineiro
Um dia desses
Varrendo a calçada
Parei pra pensar,
Fiquei olhando os carros
As vitrines
As roupa e as pessoas
E observei:
Os meus sonhos para alguns
São tão comuns
Que fiquei assustado
Um pouco tonto e com medo,
Me sentei em uma cadeira
E perguntei ao amigo do lado,
- Será que tudo que passa
pela minha cabeça
é besteira...

José da Silva (caranguejúnior) é guardador de carros - flanelinha -, tem 37 anos e atualmente mora na Rua das Esquinas Quaisquer.

Viagem dos Sonhos
Não peguei o bonde
Que passou em direção à Felicidade
Fiquei aqui
Perdido nesta cidade
Esquecido

Meu trabalho de guardador
Quebra o galho durante o dia
Guardo a dor no coração
Guardá-la eu não queria

Como o pão
Que o diabo amassou
Leio as notícias
Do meu cobertor

Choro sozinho
Rio sozinho
E sozinho vivo
Conversando com a lua
Que me garoa

Esperto fico
Sonho com o dia
Em que o bonde retornará
E eu poderei embarcar
E seguir viagem

7 comentários:

Anônimo disse...

De fato, acho que Fernando é boa Pessoa. Mas o poeta deve escrever com o seu próprio nome. Evitando pseudo-intelectualismos para querer aparecer, escrevam com seus próprios nomes. Pois nosso nome é o que importa.

Caranguejúnior disse...

"Nosso nome é o que importa"
um pessoa que posta anonimamente falar isso... é dificil.

Pra quem não sabe, temos uma oficina de poesia no Tendal da Lapa, e nessa oficina falamos de grandes poetas e trabalhamos as escritas, esses posts são basicamente criados na oficina. Bem, logicamente que temos nossos blogs pessoais onde postamos nossos poemas livremente. quem quiser dar uma olhada, os links estão no blog dos Tietês.

Anônimo disse...

Não posto comentário com meu nome, pois ele ilustra um dos melhores blogs de poesia desse país. Aqui, me reservo apenas como critico. E não irei me rebaixar. Pois todos sabem que tiete é esgoto.

André Dia(s,z)? disse...

Esgoto é sua cabeça, sr. anonimo! Voce me parece é invejoso! Posta o link dessa porra de blog seu! Se é que existe, infeliz!

Fernanda ಌ disse...

Olha que pra ser um poeta esse anônimo vê tudo muito ao pé da letra... Acho que não é poeta não...

arrudalele disse...

Tiete é fã. E Tietê pode ser um monte de coisas. :P

Marluce Aires disse...

Voçês são ótimos.Um grupo que vejo,se dão muito bem.Bem que poderia existir muita gente como vcês.Muita paz para estes blogueiros Amantes do Tietê.